was successfully added to your cart.

PLAYLIST- BALLET CLÁSSICO INICIANTE

By March 21, 2018Journal, Playlist Ballet
PLAYLIST- BALLET CLÁSSICO INICIANTE

PLAYLIST- BALLET CLÁSSICO INICIANTE

Como já falei aqui antes, a música é fundamental para o ballet. Pensando nas pessoas que estão começando agora nesse universo do ballet clássico, eu criei essa playlist para adulto iniciante. Bom, o que diferencia uma aula de ballet clássico iniciante de uma aula para uma turma mais adiantada? Basicamente a quantidade de exercícios dados em aula! As turmas iniciantes fazem menos sequências e a aula é mais curta, durando normalmente 60 min, enquanto as intermediárias têm 1h30 de duração. E as profissionais vão de 1h45 a 2h de treino.

Além disso, para as aulas de ballet clássico iniciante as músicas são, normalmente, mais lentas, com os compassos mais marcados e definidos. Isso porque no início da prática do ballet é muito difícil de sincronizar a música com o movimento. Se a música tiver muitas notas e for muito dedilhada fica difícil pra quem esta iniciando perceber os tempos: quando abrir ou fechar as pernas; quando dobrar ou esticar o joelho… Então as músicas são mais marcadas.

Para começar a aula, coloquei uma música de aquecimento que pode ou não ser feito de frente para a barra. Mas, depois, para as próximas sequências é necessário ir à barra. Isso porque, no ballet clássico iniciante, é importante ter, em muitos dos passos, as duas mãos apoiadas na barra, ficando mais fácil de desenvolver a consciência da postura corporal (alinhamento entre quadril e os ombros em forma de um quadrado) que o ballet exige.

Depois eu acrescentei duas opções de músicas para battement tendu (uma mais lenta para fazer a sequência mais marcada e depois uma mais rápida). Em seguida, coloco duas versões (mesma proposta de uma lenta e outra rápida) de battement jeté. Eu gosto de colocar depois dos battement jetés, exercícios de relevés para fortalecer os tornozelos, para ser uma sequência um pouco mais de força e equilíbrio, antes de ir para os rond de jambes. Nos Rond de jambes, eu escolhi um tempo lento de música, bem marcado para conseguir, aos poucos, entrar nessa sequência que exige tantas rotações de perna para fora.

Interessante que a próxima música que eu escolhi é uma de battement sur le cou-de-pied. Inicialmente, pode parecer um pouco esquisito porque normalmente os battement sur le cou-de-pied são ensinados depois dos fondus e frappés. Apesar de ser uma música com um ritmo mais acelerado, no ballet iniciante, eu gosto de ensinar esse movimento com pausas para realmente aprender a posição do pé do cou-de-pied, que será fundamental para fazer o battemend fondu e o frappé.

Em seguida, ainda na barra, vem o fondu e o frappé. Depois, uma música com tempo bem lento para o Adagio, para movimentos lentos e ligados. Para finalizar os movimentos na barra, uma trilha para o grand battement também bem marcada e definida para não gerar confusão na execução.

Como é necessário ter uma sólida na barra e uma segurança maior antes de ir para o centro, no ballet iniciante a parte dos exercícios no centro é mais curta. Então, a gente não faz todos os exercícios de uma aula completa no centro.

Para começar no centro, eu gosto de dar battement tendu para sentir o corpo, o equilíbrio. Depois um adagio que eu gosto de mostrar bastante as posições do braço, sem a barra, a posição do corpo em relação ao espaço. Dou também bastante Port de Bras nesse adagio do ballet iniciante.

 Depois gosto de dar exercícios de relevés variando entre com as duas pernas e uma só, por ser o primeiro momento que eles começam a fazer exercícios fora da barra de equilíbrio na meia ponta. Com o tempo esses relevés podem virar piruetas, pequenos giros, mas sempre no centro da sala, sem ir para a diagonal (como é feito nas aulas mais adiantadas).

Em seguida eu dou um pouco mais de salto. Em um petit allegro, eu gosto de repetir a sequência que dei no relevé mas agora com saltos. Por exemplo, na primeira posição eu dei plié- relevé- plié- relevé, e na hora dos saltos eu vou dar plié-sauté-plié-sauté, que é um desdobramento do relevé.

Depois do petit Allegro, eu dou uma outra opção de Petit Allegro um pouco mais rápido. E, por fim, a Révérence que é a finalização da aula, o agradecimento, como faço em todas as aulas.

Acho interessante destacar que na aula iniciante o único salto que a gente faz é o petit allegro. Eu não gosto de dar logo no princípio os médios saltos e os grandes saltos, porque acho importante solidificar bem o aprendizado nos petit allegros para depois, aos poucos, ir evoluindo para os médios e grandes, que ficam para as turmas mais adiantadas.

Espero que tenham gostado! E fiquem ligados aqui que em breve vou dando mais dicas de aulas.

Leave a Reply